Toque afectivo desenvolve competências sociais das crianças

Toque afectivo desenvolve competências sociais das crianças

O toque sempre foi uma importante parte do desenvolvimento da criança. É através do toque que as crianças começam a explorar e a conhecer ativamente o mundo que as rodeia. É também através do toque que mais facilmente mostramos amor pelas nossas crianças, nos abraços, nas carícias, etc.

Imensos estudos mostram a importância e a contribuição do sistema tátil para o desenvolvimento do esquema corporal, desenvolvimento da coordenação motora e até para o desenvolvimento das capacidades de aritmética.

Agora, uma recente investigação desvendou uma nova razão para tocar carinhosamente a sua criança.

Uma investigação publicada no jornal Cerebral Cortex, mostra que a frequência com que os pais tocam nos seus filhos está intimamente ligada com o desenvolvimento das suas competências sociais.

No estudo, que foi levado a cabo com crianças de 5 anos de idade enquanto elas brincavam com as suas mães, os investigadores tomavam nota das vezes em que as mães tocavam nos seus filhos. Dois dias depois mediam a actividade cerebral de cada criança para ver se havia diferenças entre os que foram tocados mais vezes e os que foram tocados menos vezes.

Segundo as conclusões do estudo:

As crianças que tinham sido tocadas mais vezes pelas suas mães, exibiam mais actividades no “cérebro social”, ou seja, nas partes do cérebro responsáveis pela nossa interação com outras pessoas.

Claro que há outros factores que desempenham um importante factor no desenvolvimento das competências sociais de uma criança, mas a importância deste estudo é que vem confirmar que o toque natural entre pais e filhos vem trazer mais competências sociais que permitirão à criança relacionar-se com outras crianças, aprender pistas e regras sociais e mostrar um maior interesse em conviver com outros.

Na verdade o efeito do toque natural e carinhoso nas crianças pode ser ainda mais forte se as crianças forem acariciadas nas costas. O toque afectivo é direccionado para o cérebro por nervos aferentes (que se chamam c-táteis) e que estão localizados, na sua maioria, nas nossas costas – talvez por isso os abraços saibam tão bem. Estes nervos respondem melhor ao toque suave e lento e desencadeiam uma série de hormonas positivas.

Agora já sabe, sempre que brincar com o seu filho não se esqueça de incluir o toque. Substitua os ataques de cócegas por toque mais suave, nas costas, mas também noutras partes do corpo. Faça massagens e aproveite os momentos que passa com ele, afinal está a ajudá-lo a desenvolver-se!

 

Artigo Original: Cerebral Cortex Journal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *