O SISTEMA VESTIBULAR: PORQUE É TÃO CRÍTICO?©

O SISTEMA VESTIBULAR: PORQUE É TÃO CRÍTICO?©

By Zoe Mailloux, OTD, OTR/L, FAOTA

De todos os sistemas sensoriais que falamos na teoria e prática em integração sensorial, aquele que é provavelmente o mais básico, mas também o mais difícil de compreender é o sistema vestibular. Este sistema sensorial desenvolve-se apenas algumas semanas após a conceção e desempenha um papel muito importante no desenvolvimento precoce da criança. Provavelmente terá sido também um dos sentidos mais importantes para a evolução dos nossos ancestrais. Contudo, o sistema vestibular não é familiar para muitas pessoas. As crianças não aprendem sobre a existência deste sentido quando aprendem os sistemas sensoriais básicos e se os adultos tiverem algum conhecimento sobre este sistema provavelmente só reconhecem a sua relação com o equilíbrio. Compreender melhor o sistema vestibular poderá ajudar a compreender melhor o tipo de problemas que as crianças podem apresentar, assim como os métodos que usamos para resolver esses problemas.

Como todos sabemos, há partes dos nossos olhos e ouvidos que recebem imagens e sons e enviam essas informações ao cérebro. As partes do sistema vestibular que recebem informação para ser enviada para o cérebro estão localizadas no ouvido interno. Uma parte consiste num conjunto de canais cheios de fluido que respondem ao movimento e à mudança de direção. A outra parte consiste numa estrutura “tipo saco” que responde à mudança da posição da cabeça e à força gravitacional. As informações sobre o movimento e posição da cabeça (que vem através destas estruturas) são enviadas para diferentes partes do cérebro.

Esta é uma das principais razões pela qual estamos tão preocupados com este sistema sensorial: porque tem diversas funções diferentes e estas são fundamentais para a nossa capacidade de fazer várias coisas.

Uma importante função do sistema vestibular permite-nos coordenar o movimento dos nossos olhos com os movimentos da nossa cabeça. Isto ocorre em actividades como copiar algo de um quadro (olhar para o quadro e depois baixar a cabeça e olhar para o nosso trabalho), virar a nossa cabeça para observar um objeto em movimento (por exemplo ver a bola a mover-se num campo de futebol), e também por vezes percorrer uma página para ler.

Estas funções do sistema vestibular ajudam a explicar o porquê de vários estudos terem mostrado que mais de metade das crianças com dificuldades de aprendizagem apresenta sinais de disfunção vestibular.

O sistema vestibular é também importante para nos ajudar a desenvolver e manter um tónus muscular normal. Tónus não é o mesmo que força muscular, mas permite-nos assumir posições e manter essas mesmas posições. O sistema vestibular é especialmente importante para que consigamos a manter nossa cabeça erguida. Muitas crianças com problemas vestibulares deixam recair a cabeça sobre as mesas, sustentam a cabeça com as mãos e geralmente parecem ter baixa resistência. O balanço e equilíbrio também são muito influenciados pelo sistema vestibular. Além disso, a nossa capacidade de coordenar os dois lados do nosso corpo em simultâneo (como necessário para andar de bicicleta ou para cortar com tesouras) também exigem uma boa função vestibular. Finalmente, alguns aspectos da linguagem parecem estreitamente relacionados com a maneira como o sistema vestibular processa informações.

Considerando todas estas funções muito básicas e importantes, não é difícil ver como um problema vestibular pode criar um problema muito real, mas muitas vezes invisível.

O Que Pode Fazer Para Ajudar?

A seguir são apresentadas algumas ideias que podem ser usadas para ajudar o sistema vestibular a desenvolver-se e a funcionar normalmente:

1. Experiências que envolvam movimento são muito importantes para a criança em desenvolvimento. Encontre tempo para atividades como baloiçar, deslizar, andar nos carrosséis do parque, etc.

2. Incentive movimentos ativos, produzidos pela própria criança em vez de movimentos passivos (por exemplo, nunca girar, torcer ou balançar uma criança excessivamente ou por períodos de tempo estipulados – isto é às vezes erradamente recomendado por pessoas que citam, mas não entendem, a Teoria de Integração Sensorial,como foi definidada pela Dra. Jean Ayres).

3. Experimente perceber se é mais fácil para a sua criança sentar-se ou realizar trabalhos de mesa após atividade física (especialmente baloiçar ou outra actividade que implique movimento). A activação do sistema vestibular, muitas vezes tem um efeito quase imediato sobre o sistema nervoso, e para algumas crianças, estas actividades podem tornar o trabalho de mesa muito mais fácil.

4. Encoraje a realização de atividades em que a criança está deitada de barriga para baixo e tem de sustentar a cabeça para cima. Realizar jogos com blocos ou outros brinquedos nesta posição, ou pedir para lançar objectos para um alvo enquanto está deitado de barriga para baixo num baloiço.

5. Incentivar a realização de atividades “bilaterais”, ou seja, que envolvam os dois lados do corpo, como saltar à corda, nadar, andar de bicicleta, remar, andar de skate ou patins, etc.

Atenção: Demasiados movimentos de baloiço ou rotatórios podem ter efeitos negativos (excesso de atividade, letargia, mudanças na frequência cardíaca e respiratória, etc.) Algumas crianças não são capazes de adequar o ritmo e intensidade do movimento e podem por vezes ter algumas reações após a atividade. Discuta esta atividades como o seu terapeuta e trace um plano apropriado para a sua criança.

O SISTEMA VESTIBULAR: PORQUE É TÃO CRÍTICO? © faz parte de uma série de “Páginas para Pais” sobre o tema da integração sensorial escrito por Zoe Mailloux, OTD, OTR/L, FAOTA. Pode ser reproduzido para fins educacionais, com o título completo e informações de copyright incluídas. Traduzido para português por Marco Leão e Raquel Cerqueira, www.7senses.pt;

 

Em que é que vai trabalhar hoje?

3 thoughts on “O SISTEMA VESTIBULAR: PORQUE É TÃO CRÍTICO?©

  1. Sou fonoaudióloga e AMEI este texto. Fez exatamente as conexões necessários para crianças que podem apresentar alterações de aprendizado. = )

  2. Parabéns, Terapeuta Marco. Gostei muito do seu texto, ajudou a entender melhor determinada situação, a qual conhece muito bem. Obrigada por tudo. Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *